Arquivo da tag: veículo elétrico

Evento sobre mobilidade elétrica reuniu cerca de 4.300 pessoas no Pacaembu

evento sobre eletromobilidade
“Veículo Elétrico Latino-Americano”: um evento sobre mobilidade elétrica seguro, repleto de novidades tecnológicas e com boa presença de público.

O “VE Open”, um evento sobre mobilidade elétrica que incluiu a exposição “Veículo Elétrico Latino-Americano”, o “Congresso da Mobilidade e Veículos Elétricos” (C-MOVE) e o passeio “Dia da Mobilidade Elétrica”, reuniu cerca de 4.300 pessoas entre os dias 22 e 26 de setembro na Praça Charles Miller e no Auditório do Museu do Futebol, no Pacaembu, em São Paulo (SP).

“Apesar de todas as dificuldades que vivemos nos últimos meses e das limitações impostas pela pandemia, conseguimos realizar um evento sobre eletromobilidade seguro e, mais uma vez, bastante relevante para o mercado brasileiro da eletromobilidade, reunindo fabricantes, importadores, fornecedores do setor, membros do governo e da academia, diversas entidades deste segmento e, também, consumidores finais que estão cada vez mais interessados em conhecer os benefícios dos veículos elétricos”, afirma Ricardo Guggisberg, fundador do “Veículo Elétrico Latino-Americano” e presidente do Instituto Brasileiro de Mobilidade Sustentável (IBMS), uma das entidades que apóiam o evento.

“Foi um evento disruptivo, que mostrou uma grande evolução em relação às edições anteriores, segundo os próprios participantes e o público presente”, acrescenta.

O evento sobre mobilidade elétrica “Veículo Elétrico Latino-Americano”, em sua 16ª edição, reuniu cerca de 40 empresas (incluindo grandes montadoras de automóveis e empreendedores que operam dentro da eletromobilidade no País, incluindo os mais diferentes, curiosos e divertidos veículos, como automóveis, motocicletas, scooters, patinetes, bicicletas, triciclos, carro-forte, ônibus, caminhão e diferentes tipos de veículos comerciais – todos eletrificados.

Vários visitantes e até jornalistas compararam a feira a um episódio do famoso desenho “Os Jetsons”, criado em 1962, que mostrava o dia a dia de uma família num mundo futurístico cheio de veículos como alguns expostos neste evento sobre mobilidade elétrica.

VISITANTES APROVAM EVENTO SOBRE MOBILIDADE ELÉTRICA

“Hoje sou um visitante entusiasta. Achei o evento bem bacana porque tem desde a micromobilidade – então vi bastante patinete, pequenos veículos elétricos – até carros caríssimos, como o Porsche e o modelo da Tesla, que eu sempre quis ver ao vivo e foi um dos motivos para eu vir aqui. Achei o Porsche fantástico, mas também encontrei várias bicicletas elétricas interessantes. Gostei muito do que eu vi”, conta Bruno Modesto, um dos visitantes.

Para as empresas presentes, o “Veículo Elétrico Latino-Americano” também gerou contatos e até negócios, como foi o caso da Electric Mobility Brasil.

“Como nós vivemos uma curva ascendente no mercado da mobilidade elétrica brasileira, um evento desse porte é muito importante para reunir diferentes players e também difundir informações para o usuário final. No nosso caso, tivemos a visita de quase 1.000 pessoas nos três dias de feira. Um público qualificado e interessado nos nossos produtos, incluindo concessionárias de marcas como Nissan e GM. E tivemos, pelo menos, duas novas vendas que devem ser fechadas em breve, além de muitos contatos importantes que devem gerar novos negócios ainda neste ano”, revela Jo Achim Liebert, gerente geral da Electric Mobility Brasil, uma das empresas pioneiras no segmento de recarga de veículos no Brasil.

PÚBLICO REALIZA PERTO DE 1.300 TESTES EM DIFERENTES VEÍCULOS

Uma demonstração de como o público brasileiro está, realmente, interessado em conhecer melhor a mobilidade elétrica foi a quantidade de testes realizados em três dias.

Foram cerca de 1.300 experimentações dos visitantes, que tiverem a oportunidade de conduzir os mais diferentes veículos elétricos, incluindo carros, motocicletas, scooters, bicicletas e patinetes.

“Participamos de todas as edições. O Veículo Elétrico Latino-Americano consegue envolver todo o mercado ligado com o projeto de eletrificação. É o evento mais importante da América Latina nessa área”, afirma Iêda Maria Alves de Oliveira, diretora da Eletra, referência nacional e internacional em transporte público sustentável.

O “Veículo Elétrico Latino-Americano” também foi palco de diversos lançamentos que ainda nem chegaram às lojas brasileiras, como o novíssimo Peugeot e-208 GT, da motocicleta SHE 3000 da Shineray, da marca de patinetes elétricos brasileiros Davinci Micromobilidade e de novos e modernos carregadores de carros elétricos.

130 ESPECIALISTAS PARTICIPARAM DO CONGRESSO

130 profissionais ou estudiosos da eletromobilidade, incluindo especialistas internacionais, participaram do “Congresso da Mobilidade e Veículos Elétricos” (C-MOVE), durante três dias. Foram quase 30 apresentações abordando a questão da eletromobilidade sob os mais diferentes pontos de vista.

“O resultado deste evento sobre mobilidade elétrica foi muito positivo. A gente conseguiu conhecer vários players desse mercado, o que deixou a discussão muito rica”, acrescenta a executiva da Eletra. Foi a terceira edição do C-MOVE. Desta vez, foi um congresso híbrido (presencial e online), com uma plateia média em torno de 300 pessoas.

DIA DA MOBILIDADE ELÉTRICA BATE RECORDE

Automóveis, motocicletas, caminhões, ônibus, bicicletas, monociclos, patinetes e triciclos, todos eletrificados, participaram, no dia 25, da quinta edição do “Dia da Mobilidade Elétrica”. Um passeio somente com veículos elétricos pela cidade, cruzando toda a Avenida Paulista.

O passeio bateu recorde de público e veículos. Foram mais de 350 pessoas, entusiastas da mobilidade elétrica, e cerca de 250 veículos diferentes! A caravana foi liderada por três carros-madrinha expostos na feira: o primeiro carro-forte elétrico do mundo, um Nissan Leaf e um veículo de serviço da Enel X.

“A adesão do consumidor final ao Dia da Mobilidade Elétrica neste ano foi muito expressiva. Definitivamente, a eletromobilidade vive um momento muito importante no Brasil e no mundo”, afirma Ricardo Guggisberg.

“O Dia da Mobilidade Elétrica reuniu uma galera animada e unida, todos em prol do desenvolvimento do nosso setor”, disse Márcio Canzian, CEO da Eletricz, referência em monociclos elétricos, micros modais que também tiveram grande participação no passeio.

PRESS RELEASE COMPLETO:

FOTOS EM ALTA RESOLUÇÃO:

Exposição sobre veículos elétricos começa nesta quinta-feira (23) na Praça Charles Miller

veiculo elétrico
O moderno Fiat 500e, lançado em agosto no mercado brasileiro, será uma das atrações do “Veículo Elétrico Latino-Americano” em São Paulo (SP).

A exposição “Veículo Elétrico Latino-Americano” vai acontecer nos dias 23 (quinta-feira), 24 (sexta-feira) e 25 (sábado), na Praça Charles Miller, no Pacaembu, das 12h às 20h. Será um encontro aberto, seguro, seguindo rigorosamente as determinações da Prefeitura para realização de eventos na capital.

Junto da feira, nos dias 22, 23 e 24, vai acontecer em paralelo, dentro do Estádio do Pacaembu, o “Congresso da Mobilidade e Veículos Elétricos” (C-MOVE) com a presença de 130 especialistas, incluindo os Secretários Municipais Ricardo Teixeira e César Azevedo.

Em sua 16ª edição, o “Veículo Elétrico Latino-Americano” é a mais importante e tradicional exposição brasileira sobre o mercado da eletromobilidade no País, reunindo fabricantes e importadores de diferentes veículos eletrificados, produtos e tecnologias desse segmento.

“Esse evento vai marcar a união do mercado brasileiro da eletromobilidade, mostrando tendências e caminhos que vão nortear essa área daqui para frente e contribuir para o seu desenvolvimento”, afirma Ricardo Guggisberg, fundador do “Veículo Elétrico Latino-Americano” e presidente do Instituto Brasileiro de Mobilidade Sustentável (IBMS), uma das entidades que apóiam o evento.

VEÍCULO ELÉTRICO DE VÁRIOS TIPOS NO EVENTO

Entre os participantes, estarão montadoras de automóveis, como Nissan, Fiat, Peugeot e BYD, o representante brasileiro da Tesla, marcas de motocicletas como Bull Motors e Shineray, locadoras de veículos elétricos como Unidas, Movida e Lease Plan, empresas especializadas em carregamento de veículos elétricos como Zletric, Power2go e Electric Mobility Brasil, novos patinetes elétrico feitos no Brasil (da Davinci Micromobilidade), fornecedores de bicicletas, quadriciclos, triciclos e scooters elétricos como a Elemovi, as sofisticadas bikes elétricas importadas produzidas pela Specialized, um ônibus e um caminhão elétricos da Eletra e o primeiro carro-forte elétrico do mundo (do Grupo Protege).

Confira um resumo das atrações:

STELLANTIS (FIAT E PEUGEOT)

O gigantesco grupo automotivo que reúne diversas marcas terá um estande próprio na feira. Nele serão expostos um carro da Fiat e outro da Peugeot. A Fiat lançou no mercado brasileiro, no mês passado, o modelo 500e, 100% elétrico. Ele será exposto em um evento brasileiro pela primeira vez.

O Fiat 500 é um ícone global da indústria automotiva, que acaba de chegar ao mercado brasileiro completamente renovado, tanto em termos de design, tecnologia e conectividade quanto em sua mobilidade inteligente: totalmente elétrico em sua terceira geração. O veículo apresenta autonomia de 320 km. Testes realizados pela Fiat indicaram que o carro pode chegar a 460 km de autonomia rodando em condições ideais.

O modelo da Peugeot será o novíssimo 208e-GT, cujo lançamento no Brasil vai ocorrer nas próximas semanas. Será a primeira apresentação do carro no Brasil.

NISSAN

A Nissan terá um estande repleto de atrações e onde estarão em exposição dois Nissan Leaf, o carro 100% elétrico ícone mundial do segmento. Outras duas unidades do Nissan Leaf vão estar na área de test drive do evento e poderão ser experimentadas pelos visitantes.

Para promover uma maior imersão dos visitantes no mundo da eletrificação e da mobilidade inteligente, o estande da marca japonesa terá atividades como bicicletas que produzem energia com o pedalar do ciclista, um gerador Van der Graaf – dispositivo que faz os cabelos da pessoa que o toca ficarem “eletrizados” – e o painel E-Switch, que permite conhecer os detalhes do Nissan Leaf, seus equipamentos e até customizar itens do modelo, tudo projetado em um telão de LED.

A Nissan é pioneira mundial na fabricação de veículos elétrico em grande escala, sendo que até hoje o Leaf já teve mais de 500 mil unidades comercializadas em todo o mundo. O modelo também é um dos carros 100% elétricos mais vendidos do Brasil.

Recentemente, a empresa anunciou a segunda fase de seu Plano de Eletrificação no Brasil, que inclui a ampliação da rede de concessionários que vende o Nissan Leaf de 7 para 44 lojas em todo o país, ações no campo da pesquisa e desenvolvimento e, ainda, de parcerias para desmistificar a mobilidade elétrica e apoiar a melhoria da infraestrutura local.

TESLA

Pela primeira vez no Brasil um carro elétrico da norte-americana Tesla participará de um evento no Brasil. Os carros da marca começaram a ser vendidos no Brasil em março deste ano, por meio d e uma representante brasileiro, a Osten Group.

Em seu estande, a Osten vai expor o Model Y Performance, um SUV totalmente elétrico. Ele é capaz de acelerar de 0 a 100 km/h em apenas 3,7 segundos, tem potência de 456 cv e bateria com 480 km de autonomia.

O modelo foi projetado para transportar até cinco adultos, combinando versatilidade e segurança, com desempenho superior na categoria. O carro é vendido no Brasil por R$ 780.000, mas está disponível também para locação, pelo valor de R$ 21.945 mensais (contrato de dois anos).

BYD

A BYD vai expor o furgão 100% elétrico eT3, um dos cinco veículos eletrificados mais vendidos do mercado brasileiro em 2021. O modelo tem autonomia de 300 km e sua bateria pode ser completamente carregadas em até duas horas. Ele possui capacidade para transportar até 720 kg de carga e espaço no compartimento para 3,3 mil litros.

MUUV

A empresa é hoje uma das principais referências no setor de mobilidade elétrica do Brasil, com uma linha completa de opções. No evento, vai apresentar novidades em sua extensa linha de scooters (linhas Beach, Custom e Chopper), bikes elétricas (Fat Street, Mini M6 e modelos aro 29), patinete (Black X) e motos (MS5 e Vespa).

FLIPON

A FlipOn inicia as suas operações na capital paulista no dia 3 de outubro, portanto o evento servirá para mostrar ao público como a plataforma funciona. A FlipOn já iniciou uma nova invasão dos patinetes de aluguel, com início de operação em nove cidades brasileiras – deve chegar a 50 localidades até o final do ano. Em breve, estará à disposição dos usuários um modelo de carro elétrico. A micromobilidade e o compartilhamento são os focos principais do projeto FlipOn, em conformidade com o crescimento das áreas de ciclovias e faixas exclusivas para bicicletas e mobilidade elétrica nas principais cidades brasileiras.

SHINERAY

A Shineray fará três lançamentos no evento: as motos SE1, SE2 e SHE 3000 – que chegam às lojas entre novembro e o início de 2022. A Shineray levará cerca de 17 veículos, incluindo 10 modelos diferentes, entre scooters (derivados de patinetes elétricos, com 2.000 W de potência) e cicloelétricos de 2.300 W.

O novo modelo SHE 3000 é um Street elétrico, com potência de 3.000 W, o que vai proporcionar um aumento de desempenho significativo em relação aos modelos atuais. A SHE 3000 tem autonomia de 120 km e atinge velocidade máxima de 80 km/h.

As motos elétricas da Shineray custam entre R$ 7.390 e R$ 16.990 em Recife (PE). Suas vendas de elétricos tiveram início em janeiro de 2021 e devem atingir entre 8 e 10 mil veículos até dezembro.

DAVINCI MICROMOBILIDADE

Outro lançamento interessante do evento serão os patinetes da marca Davinci Micromobilidade.  Será a primeira apresentação ao público dos dois modelos que entram em pré-venda no dia 22 de setembro.

A empresa é pioneira na fabricação e venda de patinetes elétricos específicos para mobilidade urbana, de alta qualidade, feitos no Brasil (em Manaus). O modelo mais simples, o DV1, por exemplo, custa R$ 5.499,00 e tem motor com 250 W e autonomia de 25 km.

BULL MOTORS

A Bull Motors comercializa motos elétricas desde 2015 com a marca Íon. A empresa possui três modelos (com preços entre R$ 11.499 e R$ 13.499), e todos serão expostos em seu estande.

Os modelos Eko City e Eko Sport possuem potência de 1.200 W, enquanto o Eko Hunter tem 2.000 W. A empresa planeja vender 1.000 motos elétricas em 2021 e planeja atingir um volume de 4.400 unidades em 2024. Suas motos são montadas em Aparecida de Goiânia (GO), pelo regime CKD, num investimento de R$ 10 milhões.

Mas a empresa está investindo mais R$ 10 milhões para iniciar a produção local de suas elétricas no Brasil a partir de 2022. Quando nacionalizadas, as motos deverão ficar até 20% mais baratas.

GRUPO PROTEGE

No ano em que completa 50 anos de história, o Grupo Protege apresenta uma inovação: o primeiro carro-forte 100% elétrico do mundo. São Paulo será a primeira cidade que vai ver de perto o projeto de sistema tração elétrico puro, que usa tecnologia nacional e foi desenvolvido em parceria com uma empresa centenária.

Durante 18 meses, profissionais da Protege em conjunto com a Eletra Industrial, empresa especializada em transporte sustentável do grupo Auto Viação ABC, investiram mais de R$ 1 milhão no desenvolvimento do veículo blindado elétrico.

Todo o projeto foi concebido para valorizar a sustentabilidade e ser uma alternativa para os próximos anos. O modelo foi estruturado em um chassi de carro-forte retirado de circulação, mitigando danos ambientais e incentivando o reaproveitamento de peças.

Os elementos que não foram contemplados no novo projeto, como motor a diesel, por exemplo, foram destinados para reciclagem. O novo layout também foi elaborado para propiciar maior segurança, mobilidade e conforto a equipe de vigilantes. O protótipo conta com autonomia de 75 km, tempo de recarga plena de 2h30 e emissão zero de gases poluentes na atmosfera.

Quando o veículo se encontra em operação, o sistema de baterias é continuamente recarregado pela tecnologia de frenagem regenerativa. Essa tecnologia amplia a autonomia do veículo e consome menos energia elétrica para o abastecimento.

ZLETRIC

Dentro da eletromobilidade, um mercado que está no centro dos debates e vive grande crescimento é o de carregamento de veículos elétricos. Uma nova lei na cidade de São Paulo, por exemplo, obriga a instalação de carregadores de veículos elétricos e híbridos em edifícios residenciais e comerciais da capital desde 31 de março. Uma das empresas que fornece esses equipamentos é a Zletric, que estará expondo suas soluções e tecnologias na feira.

JBA ENGENHARIA

Será exposto um veículo elétrico, o projeto eKar, construídos por alunos da Fatec. É um monoposto elétrico, feito totalmente com componentes nacionais.

TRUCKVAN

A Truckvan é a maior fabricante de Unidades Móveis do Brasil e referência em Implementos Rodoviários para o segmento de pesados. A empresa também possui um amplo portfólio de produtos para locação e atua na área de soluções para proteção de dados e Tecnologia da Informação. A companhia conta com mais de 500 funcionários e está localizada em uma planta de 70 mil m² em Guarulhos (SP).

CONGRESSO DA MOBILIDADE E VEÍCULOS ELÉTRICOS

Em paralelo à exposição “Veículo Elétrico Latino-Americano”, vai acontecer o “Congresso da Mobilidade e Veículos Elétricos” (C-MOVE). Este evento será realizado nos dias 22, 23 e 24 de setembro, das 9h às 18h. No primeiro dia, quarta-feira (22), às 8h30, vai acontecer a cerimônia de abertura do C-MOVE.

O C-MOVE será palco de 26 apresentações de, aproximadamente, 130 profissionais desse setor nos seus três dias – entre especialistas, profissionais da área, membros da academia, representantes de entidades do setor e autoridades governamentais.

Estão confirmadas as participações de dois secretários municipais de São Paulo. Ricardo Teixeira, Secretário Municipal de Mobilidade e Trânsito, estará presente no dia 23, às 16h45, do painel “Desafios do uso da eletromobilidade no transporte público”.

Já o Secretário Municipal de Urbanismo e Licenciamento, César Azevedo, participará no dia 24, às 11h45, do painel “Políticas públicas na redivisão dos espaços de uso público, absorvendo os novos modais”.

As apresentações poderão ser acompanhadas presencialmente ou pela Internet.

DIA DA MOBILIDADE URBANA

Outra atração, no dia 25, a partir das 8h, será o “Dia da Mobilidade Elétrica”. Será um passeio de veículos elétricos pela cidade, cruzando a Avenida Paulista e chegando até o Estádio do Pacaembu. Para participar, gratuitamente, o público pode se inscrever no endereço www.diadamobilidadeeletrica.com.br/quero-participar.

Mais informações em www.velatinoamericano.com.br.

CREDENCIAMENTO DE IMPRENSA

Termina hoje o credenciamento antecipado de imprensa para o “Veículo Elétrico Latino-Americano”. A credencial dará acesso total à exposição com os test-drives e a todas as apresentações do congresso. O acesso dos jornalistas às apresentações do Congresso estará sujeito à disponibilidade de lugares no auditório, devido aos protocolos de segurança estabelecidos para realização de eventos.

Para se credenciar, clique no link: https://bit.ly/2WEpD0S

PRESS RELEASE COMPLETO:

FOTOS EM ALTA RESOLUÇÃO:

Locação de carro elétrico é oportunidade para conhecer de perto essa tecnologia

Locação de carro elétrico
Locação de carro elétrico vem sendo uma ótima oportunidade para o consumidor brasileiro conhecer de perto essa nova tecnologia.

Locação de carro elétrico é um negócio que vem crescendo. A locação cada vez maior de automóveis e veículos comerciais elétricos ou híbridos pode ser uma ferramenta importante para o consumidor brasileiro e algumas empresas conhecerem de perto e testarem na prática essa nova tecnologia. A previsão é do presidente da Associação Brasileira das Locadoras de Automóveis (Abla), Paulo Miguel Junior.

De acordo com ele, a ausência de políticas públicas capazes de incentivar a produção e a comercialização de veículos elétricos com preços mais acessíveis e também a pequena infraestrutura de recarga ainda disponível no País desencoraja as vendas. “A locação, por enquanto, é o único jeito de mais pessoas terem contato com a eletromobilidade”, afirma.

“Mesmo consumidores com condições financeiras para comprarem um carro elétrico nos custos atuais ainda não têm confiança para realizar este investimento devido à dificuldade de recarregamento, especialmente para quem vive em prédios”, acrescenta o presidente da Abla. Por isso, a importância da locação do carro elétrico.

LOCAÇÃO DE CARRO ELÉTRICO ATRAI CONSUMIDORES IDENTIFICADOS COM O CONCEITO DE EMISSÃO ZERO

Além da curiosidade tecnológica de rodar com um carro elétrico, que já atrai consumidores, a identificação com a emissão zero de poluentes é outro fator que contribui para as locações desses veículos.

Segundo o presidente da Abla, hoje existem perto de 1.200 automóveis elétricos ou híbridos disponíveis para locação no Brasil. Esse número vem crescendo a cada ano. Para ser ter ideia, em 2018 eram cerca de 600 unidades.

“O mercado de locação de carro elétrico vem crescendo aos poucos, mas a diversidade dos modelos no País aumenta e a disponibilidade deles nas locadoras crescerá”, destaca André Ricardo, CEO da Solution4Fleet, consultoria que presta serviços para locadoras.

“O crescimento dos elétricos no mercado de locação virá das empresas que precisam reduzir suas emissões e de consumidores que buscam uma experiência diferente e têm esse alinhamento ambiental com o carro elétrico”, explica Ricardo. “Nesse cenário, nos próximos cinco anos, deveremos atingir em torno de 5% de veículos elétricos nas frotas das locadoras”, complementa.

Hoje, o consumidor encontra desde carros elétricos para locar por dia até os contratos com assinaturas por um período maior, envolvendo principalmente modelos mais sofisticados.

UNIDAS TEM 200 CARROS ELÉTRICOS OU HÍBRIDOS PARA LOCAR

A Unidas, uma das maiores locadoras do Brasil, diz ter a maior frota de veículos 100% elétricos ou híbridos para locação no mercado nacional. São 200 unidades, incluindo modelos como o BMW i3 e o VW Golf GTE. O carro da BMW custa a partir de R$ 240,00 por dia, enquanto o da VW sai por R$ 235,00 por dia – ambos com seguro.

“Optamos por assumir o protagonismo de oferecer esses veículos ao mercado, incentivando a demanda e proporcionando aos clientes uma experiência diferenciada. Existe um movimento global de fortalecimento empresarial das práticas ambientais, sociais e de governança, o que vem resultando no crescimento da demanda por veículos eletrificados”, afirma Breno Davis Campolina, Head de Frotas da Unidas.

“O público-alvo desse segmento são clientes que desejam vivenciar a experiência de um veículo eletrificado, sem precisar aplicar os altos recursos necessários para a sua aquisição”, aponta Campolina.

Outras empresas que já oferecem modelos elétricos em locações diárias são a Movida e a BeepBeep. Na Movida, por exemplo, é possível alugar um Nissan Leaf, com autonomia de 378 km, pagando R$ 520,00 por dia (seguro incluso).

FAZER ASSINATURA MENSAL DE UM CARRO ELÉTRICO É OUTRA OPÇÃO

Quem quiser fazer uma assinatura mensal de um automóvel premium encontra opções sofisticadas na Osten Fleet, como Mini Cooper S, Jaguar i-Pace SE e Tesla Model Y. O mais barato é o Mini Cooper S, que custa R$ 5.999,00 mensais no plano de 48 meses.

O mercado de locação de carro elétrico será um dos temas do evento “VE Open”, evento que começa no dia 22 setembro, com a abertura do “Congresso da Mobilidade e Veículos Elétricos (C-MOVE), e inclui também a exposição “Veículo Elétrico Latino-Americano”, a partir do dia 23, e o “Dia da Mobilidade Elétrica”, em 25 de setembro.

O congresso vai acontecer no auditório do Museu do Futebol do Pacaembu, enquanto a exposição será realizada na Praça Charles Miller.

CREDENCIAMENTO DE IMPRENSA

Já está aberto o credenciamento de imprensa para o “VE Open”. A credencial dará acesso total à exposição com os test-drives e a todas as apresentações do congresso.

O acesso dos jornalistas às apresentações do Congresso estará sujeito à disponibilidade de lugares no auditório, devido aos protocolos de segurança estabelecidos para realização de eventos.

O credenciamento antecipado, para evitar filas na entrada, será permitido até o dia 20 de setembro.

Para se credenciar, clique no link: https://bit.ly/2WEpD0S

Para ler mais press releases sobre o evento, clique aqui.

Mais informações em www.velatinoamericano.com.br.

Eletricz possui escola exclusiva para formação de novos monociclistas

Escola de Monociclistas
Escola da Eletricz possui pista exclusiva e já formou mais 600 monociclistas desde 2017.

A Eletricz, distribuidora especializada em veículos elétricos portáteis como monociclos, bicicletas e patinetes, mantêm em São Paulo (SP) a única escola do País focada na formação de novos monociclistas. O monociclo elétrico, mais conhecido apenas como mono, cujas vendas no mercado nacional crescem a cada ano, apresenta uma curva de aprendizado diferente da bicicleta ou do patinete e, por isso, os novos usuários precisam passar por um treinamento prático para se tornarem monociclistas.

“Não é possível conduzir um mono sem um treinamento prático específico desse equipamento”, explica Márcio Canzian, CEO da Eletricz e diretor da Associação Brasileira do Veículo Elétrico (Abve). Na avaliação do executivo, essa necessidade acaba se tornando uma grande vantagem para os monociclistas. “Junto com as aulas mais técnicas sobre como conduzir um monociclo elétrico, os alunos também são orientados com relação à condução segura e recebem dicas e orientações de como se portar nas ruas para evitar acidentes, especialmente em espaços compartilhados, seja em ciclofaixas, ciclovias e até mesmo nas ruas. Oferecemos muito mais do que simplesmente ensinar a pilotar o equipamento”, acrescenta.

Criada em 2017, a escola para formação de novos monociclistas da Eletricz funciona no bairro de Vila Nova Conceição e já formou mais de 600 monociclistas desde então. A escola conta com uma pista exclusiva e segura para os treinamentos e com um uma equipe treinada e dedicada full time, durante horário comercial.

Em geral, os novos usuários de monos precisam passar por um período mínimo entre duas e quatro horas para começarem a se tornar independentes com o equipamento – o tempo varia de pessoa para pessoa. “A partir daí, podem continuar treinando sozinhos até estarem prontos para sair na rua com o veículo. Normalmente, com treinamentos e dedicação diários, isso leva cerca de uma semana”, afirma Márcio. As aulas podem ser agendadas pelo site da empresa (www.eletricz.com.br/training) e custam, por hora, a partir de R$ 80,00. Neste valor já está incluso o empréstimo dos equipamentos individuais obrigatórios de segurança – capacete, munhequeira, cotoveleira, joelheira e caneleira – e do mono.

Um dos desafios dos novos alunos é entender como funciona um monociclo elétrico, um veículo que não possui um botão para acelerar ou frear. Os monociclos são construídos numa estrutura única que possui sensores de estabilização e aceleração. Sua principal característica é funcionar através de um giroscópio. Os giroscópios são usados para controlar rotas de naves espaciais, piloto automático de aviões, mísseis e carros autônomos. É a mesma tecnologia nos monociclos.

Além disso, o monociclo elétrico possui acelerômetros: sensores que medem a aceleração de um corpo em relação à gravidade e sua direção. Sua tecnologia, portanto, traz para o usuário o que existe de mais moderno em mobilidade. Ele funciona com um pêndulo: para acelerar, o condutor deve pender seu corpo ligeiramente para frente, e para reduzir a velocidade deve pender para trás. Monociclos não possuem freios: é esse movimento do corpo para trás que reduz a velocidade até parar ou até ele começar a rodar para trás – o que exige mais experiência do usuário.

A Eletricz comercializa no Brasil mais de 10 modelos de monociclos elétricos das marcas KingSong, Gotway e Veteran com preços a partir de R$ 2.970,00. A empresa possui uma loja física, na capital paulista, onde fica sua escola. Para quem não está em São Paulo, a Eletricz oferece aulas tutoriais no seu canal do YouTube, no endereço www.youtube.com/eletricz, e todos os seus produtos também podem ser adquiridos em sua loja virtual, no endereço www.eletricz.com.br/loja.

SOBRE A ELETRICZ

A Eletricz iniciou suas operações em julho de 2018 com a missão de promover a locomoção de curta e média distância, incentivando a valorização da vida ao ar livre, a apropriação saudável das vias públicas e a mudança para um estilo de vida mais saudável, divertido e econômico. Por isso, comercializa os mais avançados veículos elétricos portáteis e desenvolve projetos e ações para difundir e incentivar este novo perfil de mobilidade urbana. A empresa comercializa monociclos, patinetes e bicicletas elétricas, mas os monociclos respondem hoje por 80% do seu faturamento, que chegou a R$ 3 milhões em 2019.

PRESS RELEASE COMPLETO:
Escola de monociclistas – 2020

FOTOS:

Eletricz é pioneira no Brasil no lançamento dos monociclos elétricos da marca Gotway

NIKOLA PNG 1
O novo modelo Nikola Plus, que custa R$ 18.570,00, é o mais acessível da linha Gotway no Brasil.

A Eletricz, distribuidora com sede em São Paulo (SP) especializada na comercialização de monociclos, patinetes e bicicletas elétricos de última geração, foi a primeira empresa no mercado brasileiro a comercializar os monociclos elétricos de altíssimo desempenho da marca Gotway, um dos principais fabricantes mundiais desse equipamento. Agora, a empresa já soma em seu portfólio no Brasil mais de 10 modelos de monociclos elétricos das marcas KingSong e Gotway.

“A Gotway é mundialmente conhecida por produzir monociclos elétricos de altíssima performance. Fundada em 2013, na China, a marca é uma das únicas do mundo a fabricar estes veículos com velocidade superior a 60 km/h.  Seus monociclos são voltados principalmente para usuários bem experientes que exigem mais velocidade, autonomia e potência. Já temos um procura importante por parte desse público”, afirma Márcio Canzian, CEO da Eletricz.

O novo modelo Nikola Plus, que custa R$ 18.570,00, é o mais acessível da linha Gotway no Brasil. Ele vem equipado com um motor com potência de 2.000 W e bateria de íon lítio de 100 V e 1.800 Wh, pesando somente 26 kg. Com isso, o veículo atinge até 64 km/h de velocidade máxima e oferece uma autonomia muito grande, de até 160 quilômetros sem precisar ser recarregado.  O produto também conta com alça retrátil escondida no corpo do equipamento (que permite transportá-lo desligado rodando facilmente, sem erguê-lo do chão, como se fosse uma mala pequena de viagem), dois alto-falantes de 25 W cada (para tocar músicas do telefone celular com ótima qualidade, por meio da tecnologia Bluetooth), pedais maiores, pneu aro 16 com três polegadas de largura (mais conforto e segurança ao ultrapassar imperfeições no solo) e luzes de LED na traseira, na dianteira e nas laterais.

O monociclo elétrico MSuper Pro (MSP), lançado pelo preço de R$ 19.950,00, traz como principal diferencial um motor mais potente, de 2.500 W, e a bateria de íon lítio de 100 V e 1.800 Wh. Ele pesa 25 kg, e oferece a mesma facilidade de ser transportado por meio da sua alça retrátil. O MSuper Pro tem autonomia de até 160 quilômetros com uma carga completa de bateria. Reconhecido mundialmente como um dos monociclos elétricos de melhor desempenho, sua velocidade máxima é de 60 km/h. Seu pneu é aro 18, com três polegadas de largura, o que o torna mais robusto e seguro ao percorrer pisos mais irregulares. Visualmente, seu charme fica por conta do acabamento que imita fibra de carbono. Ele também conta com dois auto-falantes, de 35 W cada. Para a iluminação, o modelo tem dois faróis de 24 V na parte dianteira.

Top de linha da Gotway no Brasil, por enquanto, o monociclo Monster V3 (R$ 24.741,00) é equipado com motor de 2.500 W de potência, que lhe garante uma velocidade máxima de até 70 km/h. Sua bateria de íon lítio tem 100 V e 1.845 Wh, proporcionando uma autonomia de até 160 quilômetros sem precisar de uma nova carga. Com peso de 28,5 kg, ele é o único monociclo vendido no Brasil que utiliza pneus aro 22, oferecendo ao seu condutor uma dose de conforto e segurança inigualáveis no segmento. O Monster V3 ainda conta com botão anti-spinning, dois auto-falantes (35 W cada), logo lateral “Monster” em LED, pedais maiores e entrada USB para, por exemplo, carregar o celular durante a viagem. Externamente, seu acabamento imita fibra de carbono e sua lanterna oferece 1.000 lúmens de luminosidade.

SOBRE A ELETRICZ

A Eletricz iniciou suas operações em julho de 2018 com a missão de promover a locomoção de curta e média distância, incentivando a valorização da vida ao ar livre, a apropriação saudável das vias públicas e a mudança para um estilo de vida mais saudável, divertido e econômico. Por isso, comercializa os mais avançados veículos elétricos portáteis e desenvolve projetos e ações para difundir e incentivar este novo perfil de mobilidade urbana. A empresa comercializa monociclos, patinetes e bicicletas elétricas, mas os monociclos respondem hoje por 80% do seu faturamento, que chegou a R$ 3,5 milhões em 2019.

PRESS RELEASE COMPLETO:
Lançamento da Gotway

FOTOS EM ALTA RESOLUÇÃO:

Como serão os deslocamentos urbanos depois da pandemia?

20190908_200114
Márcio Canzian: CEO da Eletricz, distribuidora de veículos elétricos portáteis, como monociclos, bikes e patinetes.

A pandemia do coronavírus traz à tona muitas reflexões sobre nossos comportamentos em sociedade, hábitos, relacionamentos e estilo de vida. Neste contexto, e nessa nova forma de enxergar como cuidamos do planeta e da nossa qualidade de vida, novas tendências para a mobilidade urbana, sobretudo nas grandes cidades, devem ser reavaliadas. E a mobilidade por meio dos veículos elétricos portáteis – monociclos, patinetes ou bicicletas – deve ganhar cada vez mais adeptos. São os chamados “desertores” do modelo convencional de transporte que estão buscando modelos mais inteligentes, divertidos e ecologicamente corretos de ir e vir.

Há uma percepção que parece unânime: a pandemia terá efeitos perenes sobre o nosso estilo de vida, a começar pelo uso do transporte coletivo. A quarentena que vivemos tem como principal objetivo evitar aglomerações, pois o vírus é facilmente transmitido nestas situações. A disseminação de pessoa para pessoa pode ocorrer de forma continuada: uma pessoa infectada pode contaminar, em média, até cinco outros indivíduos. A transmissão do coronavírus, por exemplo, costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão, e contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, o nariz ou os olhos.

O transporte coletivo, especialmente nas grandes cidades brasileiras nos horários de rush, é sinônimo de aglomeração. É um ambiente que favorece a propagação de vários tipos de vírus. Em ônibus, metrô e trens, a falta de espaço dentro do veículo impede ou dificulta que o usuário cumpra orientações fundamentais para reduzir o contágio, como colocar a parte interna do braço (e não a mão) na boca ao tossir ou espirrar. As barras de apoio que as pessoas usam para se segurar favorecem a transmissão do vírus presente nas mãos. É por isso que o transporte individual deve despontar, mesmo depois da crise, como uma nova tendência no mundo todo, e também nas metrópoles brasileiras.  Ir para o trabalho conduzindo um veículo elétrico portátil e pessoal é muito mais seguro – é o caso do monociclo elétrico, um equipamento de mobilidade individual, rápido e versátil.

Este cenário deve favorecer toda a cadeia de produtos ligados à mobilidade individual, criando uma maior demanda por modais que atendam a estes novos hábitos. Outro mercado que também cresce sob esta crise são os serviços de entregas. Plataformas como iFood e Rappi, que se utilizam dos veículos pessoais, elétricos ou não, já impulsionam fortemente esse segmento de entregas.

Para que isso aconteça, é urgente que as cidades acelerem seu movimento de mudança. Precisamos criar espaços seguros para que todos circulem em segurança. É um movimento mundial no qual cada ponto do planeta está num degrau de desenvolvimento. Cidades como Paris e Barcelona, por exemplo, já investem pesado na micromobilidade, criando redes muito mais extensas de ciclovias, ciclofaixas e ciclorotas do que as de São Paulo.

Além disso, outro ponto que ainda requer propostas mais aprimoradas é a criação de linhas de crédito especiais através de bancos e financeiras, que tornem a adesão aos modais elétricos portáteis mais acessível para a camada da população que ainda se vê obrigada a utilizar o nosso precário sistema de transporte coletivo. Isso é fundamental para quebrarmos a dependência deste tipo de locomoção, reduzindo a aglomeração, os congestionamentos, e melhorarmos nossa qualidade de vida, mais ainda no mundo novo que se inicia pós-pandemia.

Future-se.

Márcio Canzian é diretor da Associação Brasileira do Veículo Elétrico (ABVE) e CEO da Eletricz, empresa especializada na distribuição de veículos elétricos portáteis.

(Este artigo foi originalmente publicado na editoria “Mobilidade” do Estadão)

VEÍCULO ELÉTRICO LATINO-AMERICANO: Eletricz lança novos veículos elétricos portáteis e planeja crescer mais de 300% em 2019

Monociclo Parque do povo

A Eletricz, distribuidora com sede em São Paulo (SP), que já virou referência em veículos elétricos portáteis no País, é uma das principais atrações da feira “Veículo Elétrico Latino-Americano”, que acontece no Transamérica Expo Center, na capital paulista, entre os dias 1º e 3 de outubro. A Eletricz expõe no seu estande no evento toda a sua linha de produtos, que inclui vários modelos de monociclos elétricos, seu carro-chefe de vendas, e também uma variedade de patinetes e bicicletas elétricos. Dois produtos estão sendo lançados no evento: o Monociclo Elétrico KS 16X, da KingSong, e o Patinete Elétrico OXO, da Inokim.

“Mais do que vender produtos, queremos ajudar a promover a revolução da mobilidade urbana no Brasil, com as pessoas ganhando mais qualidade de vida por um custo muito menor na hora de se locomover. Já está acontecendo uma mudança de atitude do público consumidor”, explica Márcio Canzian, um dos sócios da Eletricz.  Existe hoje um movimento grande de pessoas que não querem mais possuir um carro, seja por economia, por perda de tempo no trânsito ou mesmo por questões ecológicas. Os veículos elétricos portáteis são ecologicamente amigáveis, pois não emitem gazes poluentes. “Estamos focados na mobilidade urbana. A ideia é fundir o uso desses veiculos elétricos portáteis com outros modais ou mesmo incentivar as pessoas a fazerem percursos inteiros com esses novos veículos”, conta Canzian.

No seu estande, a Eletricz apresenta diversas soluções para este cenário, com destaque para os lançamentos do Monociclo Elétrico KS 16X, da KingSong, e do Patinete Elétrico OXO, da Inokim, cujas vendas têm início já nesta semana. O Monociclo Elétrico KS 16X, por exemplo, é produzido pela KingSong, uma marca chinesa conhecida mundialmente, que já virou referência neste segmento, e é líder global na aprovação dos seus produtos. A Eletricz é distribuidora exclusiva da KingSong para o Brasil.

O lançamento do Monociclo Elétrico KS 16X é o mais aguardado do ano para este setor. A KingSong surpreendeu os entusiastas deste mercado ao apresentar um monociclo elétrico de altíssima performance com um design diferente de tudo que a empresa já havia desenvolvido. O modelo possui motor com 2.200 W de potência, que lhe garante uma velocidade máxima de 50 km/h com o máximo de conforto e segurança. Sua bateria de 1.554 W/h é capaz de proporcionar até 140 quilômetros de autonomia com uma só carga, sendo que seu recarregamento leva em torno de 14 horas com um carregador simples de 1,5 A. Mais detalhes sobre este produto no texto anexo. O modelo chega ao mercado com preço de R$ 13.311,00.

Já o Patinete Elétrico OXO é considerado o melhor patinete elétrico do mercado brasileiro. O modelo é fabricado pela marca israelense Inokim em sua fábrica na China e é considerado um modelo top de linha no segmento, com porte e desempenho superiores ao oferecidos pelos patinetes disponíveis nas ruas para locação. O Patinete Elétrico OXO conta com dois motores de 1000 W com poderosas baterias de lítio (um conjunto de motor/bateria em cada roda), prancha larga para melhor posicionamento dos pés e para garantir mais estabilidade e segurança durante a condução, suspensões ajustáveis, velocidade máxima de 65 km/h e outras inovações (veja mais detalhes no texto anexo). O produto está sendo lançado com preço de R$ 14.841,00.

Além disso, a Eletricz aproveita a feira para mostrar ao público outros 16 veículos elétricos, com diferentes características. Os destaques são cinco modelos de monociclos elétricos, todos da marca chinesa KingSong, com preços entre R$ 3.474,00 e R$ 14.490,00: Monociclos Elétricos KS 14M (R$ 3.474,00), KS 14D (R$ 4.491,00), KS 16S (R$ 6.741,00), KS 18L (R$ 10.791,00) e KS 18XL (R$ 14.940,00).

Juntamente com o novo Patinete Elétrico OXO, também estão expostos mais oito patinetes que já estão disponíveis no mercado nacional: Patinete Light Super 2 (com cinco unidades, em cores diferentes, com preço de R$ 6.255,00 cada um), Patinete Quick 3 (R$ 8.490,00), Patinete Mini 2 (R$ 4.990,00). Para completar, a distribuidora também expõe sua Mini Bicicleta Elétrica Eletricz EZ1 (R$ 5.391,00).

MERCADO EM CRESCIMENTO

A Eletricz foi fundada em julho de 2018 e, desde então, vem focando o seu trabalho no segmento de monociclos elétricos, que hoje respondem por 80% das suas vendas. Todos os monociclos elétricos vendidos no Brasil pela distribuidora são da marca KingSong. “É a marca mais respeitada do mundo quando o assunto é monociclo elétrico”,  garante Márcio Canzian.

O sucesso desses veículos no Brasil, e sobretudo no mercado internacional, se explica por vários motivos: são de fácil condução e armazenamento, são divertidos de serem pilotados, oferecem boa autonomia sem precisar de recarga e são leves, o que facilita o seu transporte quando não estão sendo utilizados (durante um percurso mais longo dentro do metrô, por exemplo).

O custo diário para se locomover com um monociclo elétrico também é irrisório. Segundo cálculos da Eletricz, considerando somente gastos com combustível (carro), passagens (transporte coletivo) e energia elétrica (carregamento da bateria do monociclo), o monociclo elétrico é 13 vezes mais barato que o automóvel e 17 vezes mais acessível que o transporte público. O custo para carregamento da bateria de um monociclo elétrico oscila um pouco, em função do modelo, mas representa algo em torno de R$ 9,00 por mês na conta de energia elétrica.

É por causa desse cenário que as vendas de monociclos e outros veículos elétricos portáteis não param de crescer, mesmo diante da crise econômica.  Em 2018, entre junho e dezembro, primeiro ano de operação da Eletricz, a distribuidora faturou R$ 700 mil, com a venda de 150 veículos elétricos portáteis (monociclos, patinete e bikes). Para este ano, a Eletricz já estima um faturamento de R$ 3 milhões até dezembro, com a comercialização de 600 veículos. Será um aumento de 328,5% no faturamento em apenas um ano. Até hoje, todas as vendas foram efetuadas em sua única loja física, instalada no bairro de Vila Nova Conceição, em São Paulo (SP), e também pela sua loja virtual (https://loja.eletricz.com.br).

FATURAMENTO DE R$ 5 MILHÕES NO PRÓXIMO ANO

“Para 2020, estamos sonhando ainda mais alto. A meta é atingir um faturamento de R$ 5 milhões e vender perto de 1.000 veículos”, planeja Canzian. Para atingir este objetivo, a distribuidora aposta numa maior visibilidade dos veículos elétricos portáteis diante do público consumidor brasileiro e também no lançamento de um novo modelo de negócios a partir do início do ano que vem. Já passa por estudos avançados a criação de uma franquia da marca, com lançamento e início de vendas previstos para os primeiros meses de 2020.

“Nosso trabalho é fortemente voltado para engajar pessoas para um novo propósito de vida, mais econômico, divertido e eco-friendly, e que tem nos produtos que comercializamos um meio para atingir esse objetivo. Por isso, acreditamos que apenas um local de experiências altamente especializado em promover os novos micro modais, com o perfil do nosso espaço atual, poderá ter sucesso. Isso inclui, por exemplo, um know-how de treinamento próprio da nossa operação, uma equipe “heavy user” dos nossos produtos e uma pista de test-drive exclusiva junto à loja”, explica Canzian, referindo-se à sua loja no bairro de Vila Nova Conceição, na capital paulista. “Com este modelo de negócio, esperamos, já em 2020, nomear oito novas lojas em cidades como Brasília, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre e Fortaleza. E queremos dobrar essa quantidade em 2021”, acrescenta.

Outra estratégia de vendas que faz sucesso é apostar em eventos de relacionamento com seu público-alvo. A Eletricz realiza circuitos por roteiros planejados (como o centro de São Paulo, entre outros) com a presença de instrutores experientes. São eventos que chegam a reunir até 60 pessoas e servem como oportunidade de interação com outros usuários de monociclos elétricos e treinamento para desenvolver suas habilidades de pilotagem com a supervisão dos instrutores.

De acordo com Márcio, o público dos monociclos elétricos é formado principalmente por homens acima de 30 anos, classes A/B, que trabalham, apresentam bom nível sócio-cultural, são viajados e capazes de entender que a adesão à mobilidade elétrica portátil é uma evolução sobre tudo o que eles faziam antes. São pessoas modernas, que gostam de tecnologia. “No mundo todo, a faixa etária que mais compra monociclos fica entre 30 e 50 anos”, acrescenta o empresário. Sobre o público feminino, ele representa cerca de 25% das vendas da Eletricz atualmente.

PRESS RELEASES COMPLETOS:
A Eletricz na Feira do Veículo Latino-Americano 2
Linha de produtos Eletricz2

FOTOS EM ALTA RESOLUÇÃO: