Arquivo da categoria: Artigos de comunicação

Divulgue sua empresa nas redes sociais e para a imprensa gastando a partir de R$ 400,00 mensais

A g6 Comunicação vem ajudando profissionais liberais e pequenas/médias empresas a divulgarem melhor seus serviços/produtos e, com isso, venderem mais. Como a maioria de vocês, temos enfrentando a crise com criatividade e flexibilidade. Sabemos que muitos profissionais e empreendedores esperam o faturamento melhorar para se “arriscarem” a investir em comunicação para entender como esse serviço pode, concretamente, ajudar nos seus negócios.

mkt-conteudo-digital

A COMUNICAÇÃO PODE TE COLOCAR NA FRENTE DA SUA CONCORRÊNCIA

Diante deste cenário atual, criamos um pacote especial de serviços, válido por três meses, para novos clientes (profissionais liberais e pequenas/médias empresas) terem contato com algumas ferramentas de comunicação por um valor bastante reduzido e assim perceberem no dia a dia como esse trabalho pode afetar positivamente o seu negócio.

COMECE GASTANDO SOMENTE R$ 400,00 MENSAIS

Por um valor fixo mensal de R$ 400,00, oferecemos a produção de conteúdos de qualidade para as redes sociais do cliente e mais a divulgação de seus serviços/produtos/marca para os jornalistas (assessoria de imprensa. Nós produzimos textos interessantes, bem-feitos, exclusivos e relevantes, capazes de realmente despertar o interesse dos diferentes públicos de cada cliente. Também podemos incluir neste pacote, com preços igualmente especiais, outros serviços, como produção de posts para blogs, criação de publicações impressas, criação de identidade visual, elaboração de apresentação institucional profissional (em PPT ou PDF), cartão de visitas virtual, eventos de relacionamento e muitas outras ações.

Vamos tomar um café para você entender como eu posso te ajudar no seu negócio?

Eduardo Sanches
(11) 99305-3328 (whtasapp)

Como a comunicação pode contribuir para divulgar o trabalho de profissionais liberais e atrair novos clientes

promote
Um bom trabalho de comunicação, criativo e personalizado para cada perfil de cliente, pode ser vital para o sucesso de um profissional liberal ou uma pequena empresa.

Você é profissional liberal e está com dificuldade de divulgar seu trabalho para ampliar sua área de atuação e conquistar novos clientes? Em resumo, como divulgar o seu negócio por um preço justo? Bem-vindo ao mundo real, cada vez mais competitivo, repleto de concorrentes competentes, criativos e, principalmente, pró-ativos. Psicólogos, arquitetos, decoradores, consultores de diversas áreas, nutricionistas, fisioterapeutas, acupunturistas, advogados, dentistas, dermatologistas, médicos e veterinários, entre várias outras especialidades, vivem esse dia a dia, com maior ou menor dificuldade nos dias de hoje. O fato é que o grande desemprego atual ampliou ainda mais a quantidade de bons profissionais que decidiu empreender e está trabalhando por conta. Ou seja: ao invés de procurarem um novo emprego formal, resolveram se arriscar disputando clientes, investindo numa carreira solo que, acreditam, pode render um futuro mais confiável e rentável.

A grande questão para estes profissionais é: como se destacar, aos olhos do consumidor, nessa verdadeira multidão de opções, muitas delas capazes de oferecer bons serviços por preços convidativos? É claro que a qualidade do seu trabalho é imprescindível para se destacar, assim como seus contatos e seu preço adequado ao momento que vivemos. Mas não há como pensar em atingir novos clientes sem uma boa estratégia de comunicação. Vale a pena investir em comunicação durante a crise? Não esqueça disso: seus melhores concorrentes, aqueles que estão conquistando novos clientes, não estão parados. Estão investindo em comunicação! Estão desenvolvendo ações eficazes que contribuem para ampliar sua visibilidade no mercado. Muitos profissionais alegam que não podem investir em comunicação enquanto estão com pouco trabalho. Na verdade, é o contrário. Comunicação não é um luxo que você recorre para ostentar ao mercado quando está cheio de clientes. Comunicação é um investimento que você é obrigado a fazer simplesmente para aparecer, para se tornar conhecido e entrar no mapa dos seus consumidores. Pense nisso: o melhor momento para investir em comunicação é quando você não tem dinheiro, por mais absurdo que isso possa lhe parecer.

custo-beneficio-email
É possível realizar um bom trabalho de comunicação com um orçamento limitado.

Assim como os seus orçamentos precisam estar adequados ao momento econômico que vivemos, com a necessária flexibilidade e boa vontade para ajudar seus clientes por um custo mais acessível, as agências de comunicação também devem seguir essa tendência, apostando em clientes com potencial para prosperar a médio e longo prazo. A g6 Comunicação vem apostando neste estilo de trabalho, como estratégia para se manter ativa e competitiva mesmo nos dias de hoje – e, por isso, conseguimos entregar orçamentos criativos, realistas, feitos sob medida para cada cliente, que trazem resultados concretos e por custos acessíveis para profissionais liberais e também para pequenas e médias empresas. O custo-benefício na comunicação é cada vez mais importante no mercado atual.

Não temos um pacote formatado de trabalho. Nosso diferencial, justamente, é a flexibilidade de montar pacotes de serviços que mesclam diferentes estratégias e ações, por um custo acessível, voltados para diferentes públicos. Aqui você não precisa, necessariamente, deixar uma boa ideia de lado para focar em somente uma ação específica de comunicação. Nossa proposta é conversar com você, entender seu negócio e seu mercado de atuação, avaliar como estão se comportando seus principais concorrentes e, num segundo momento, apresentar uma estratégia que, de verdade, caiba no seu orçamento e que seja realmente capaz de estabelecer um canal de comunicação e relacionamento permanente e eficiente com seus públicos de interesse. É isso que vai  contribuir para atrair novos clientes para a sua empresa.

O Marketing de Conteúdo pode ajudar o seu negócio a crescer!

marketing-de-conteudo.jpg
O Marketing de Conteúdo é uma oportunidade incrível para pequenas empresas e profissionais liberais também divulgarem, com sucesso e por custos acessíveis, seus produtos e serviços.

Assessoria de imprensa? Redes sociais? Conteúdos para site e blogs?  Um livro institucional? Vídeos? Publicações impressas? Eventos direcionados para públicos específicos? Folhetos? Uma nova apresentação institucional? Tudo isso e outras ações de comunicação podem ser enquadradas dentro do moderno conceito de Marketing de Conteúdo, um caminho sem volta que empresas do mundo todo, de todos os portes, estão adotando.

O que é Marketing de Conteúdo? De acordo com o Content Marketing Institute, criado nos Estados Unidos, “Marketing de Conteúdo é uma técnica  que cria e distribui conteúdo de valor, relevante e consistente, para atrair e engajar uma audiência claramente definida, com o objetivo de encaminhar o cliente a tomar alguma ação que gere lucro”.  Marketing de Conteúdo é o oposto de anúncio. É um jeito de conquistar o cliente sem falar diretamente dos seus produtos ou serviços, sem apenas colocar na cara dele o logotipo da sua empresa. Na verdade, Marketing de Conteúdo pode ser definido como a arte de contar boas histórias, capazes de atrair e agradar o seu público-alvo, tratando de temas que este público deseja ou precisa ter acesso – mas sempre tendo como foco os propósitos e ideais do seu negócio. Um dos desafios da g6  é entender quais são as necessidades do público-alvo do cliente para então desenvolver conteúdos que naturalmente façam com que as pessoas se engajem com a marca. Conteúdo, hoje em dia, está presente em praticamente todas as estratégias de comunicação das empresas.

Seja um comunicado para a imprensa (press release), um post ou um vídeo para as redes sociais, um folder, um artigo para o site ou o blog, uma publicação impressa, um texto de apresentação no email, uma mala direta, um livro institucional, um case de sucesso, uma mensagem de whatsapp, um e-book…Tudo isso e muito mais é conteúdo! Para que este conteúdo traga resultados concretos para seus negócios é preciso que ele realmente tenha qualidade. É preciso, principalmente, que ele conte uma boa história capaz de educar, informar, entreter ou inspirar o seu público. A g6 tem experiência nisso e pode avaliar a sua empresa  e estudar a melhor forma do Marketing de Conteúdo impactar positivamente os seus negócios, pelo menor custo possível. O objetivo, sempre, é não desperdiçar verbas ou esforços.

O trabalho desenvolvido para a clínica odontológica Fast Odonto

valeska22
O trabalho inovador de tratamento odontológico com sedação da Dra. Valeska vem obtendo boa visualização na internet com as ações desenvolvidas pela g6 Comunicação.

Para você que está achando que tudo isso é caro demais, ou que vale apenas para grandes empresas e seus budgets gigantescos, vamos contar a história da Clínica Odontológica Fast Odonto, da Cirurgiã-Dentista Dra. Valeska Roverso Correa, que contratou a g6 faz apenas dois meses. Desde 2011 (há oito anos, portanto), a Fast Odonto oferece um tratamento dentário sob sedação totalmente inovador, desenvolvido com exclusividade pela Dra. Valeska para atender principalmente pacientes que sofrem de pânico de dentista. Trata-se de um método de sedação que custa cerca de um quinto do valor de métodos convencionais de sedação disponíveis em outros consultórios. Na base da comunicação boca a boca e, recentemente, também divulgando seu trabalho numa página corporativa no Facebook, a Dra. Valeska vem conquistando clientes.

Mesmo assim, sem um site na Internet (apenas a página do Facebook), antes de contratar a g6, em fevereiro, ao procurar por esse tipo de “tratamento dentário com sedação” ou pesquisar sobre “pânico de dentista” (ou termos similares) pelo Google, o consumidor simplesmente não tinha como chegar ao consultório da Dra. Valeska. Ela parecia não existir. Hoje, passados pouco mais de dois meses do início deste trabalho, ao pesquisar pelo Google termos como “tratamento dentário com sedação”, “pânico de dentista” e “medo de dentista”, a clínica Fast Odonto e a profissional Dra. Valeska Roverso aparecem em vários links já na primeira página de pesquisas! Todos sabem que, hoje em dia, grande parte dos consumidores faz suas escolhas fazendo esse tipo de pesquisa pelo Google – em qualquer segmento de mercado.

Bem, e o que a g6 fez para conseguir resultados tão rápidos? Entre outras ações, duas se destacaram. A primeira foi divulgar o trabalho inovador da Dra. Valeska para a imprensa, por meio de conteúdos interessantes enviados para jornalistas que escrevem sobre este área. Com isso, foram publicadas algumas matérias sobre a cliente em sites jornalísticos que têm boa visibilidade no Google. Eles apresentam um bom desempenho nas pesquisas do Google e levaram a cliente para a primeira página de pesquisas do buscador, o que é extremamente significativo. Além disso, como a cliente não tem um site e não podia pagar por um neste momento, a g6 sugeriu a criação de um blog especializado no tema “pânico de dentista”. A ideia era abastecer este novo endereço com informações e histórias relevantes sobre o medo de dentista tão comum numa parcela significativa da população. Com isso, aos poucos, este blog, chamado “Fim do Pânico de Dentista”, também começaria a se destacar nas pesquisas feitas na internet. De fato, isso já está acontecendo e a clínica Fast Odonto e a Dra. Valeska Roverso Correa entraram para valer no mapa do Google quando o assunto é “pânico de dentista” e “tratamento dentário com sedação”. Hoje, a clínica recebe, todos os meses, dezenas de pedidos de novos orçamentos de consumidores que conheceram o trabalho da Dra. Valeska pela Internet.

Comunicação para um consultor financeiro

boreal.png
A Boreal Finanças procurou a g6 para criar, entre outras ações, uma nova apresentação institucional com o objetivo de partir para o mercado em busca de novos clientes.

Recentemente, em 2018, o economista Gustavo Gomiero, diretor da Boreal Finanças, em São Paulo (SP), uma consultoria especializada em finanças corporativas que estava buscando ampliar seu leque de clientes. Como parte de sua estratégia de expansão de negócios, contratou a g6 para criar diversas peças/ferramentas de comunicação: apresentação da empresa em Power Point, email marketing, “vídeo gif” para uso em redes sociais e roteiro de temas para uso da empresa de Cold Call.

A estratégia de trabalho pode ser completamente diferente com o seu negócio. Cada caso é um caso. Tempo atrás, por exemplo, trabalhamos para a psicóloga Amélia Kassis, proprietária da empresa Companhia Zen, uma consultoria em qualidade de vida instalada na Vila Mariana, em São Paulo (SP). Naquela oportunidade, o trabalho foi focado em assessoria de imprensa, buscando tornar a profissional uma referência na sua área de atuação. O trabalho foi bem-sucedido, com várias matérias interessantes veiculadas na mídia, inclusive em programas de rádio. Como resultado direto, diversos novos clientes chegaram à Companhia Zen, inclusive de outras cidades, como Santos (SP), graças, por exemplo, à uma boa entrevista com Amélia publicada no jornal “A Tribuna”, o mais importante da Baixada Santista.

Divulgação de escritórios de advocacia

OAB-advogado-correspondente-honorários
Bons conteúdos para a imprensa, como artigos assinados e press releases, e um blog bem produzido podem gerar resultados concretos para escritórios de advocacia.

A g6 também vem se especializando em oferecer um serviço de assessoria de imprensa qualificado para escritórios de advocacia. Em 2011, a agência começou a prestar o serviço para o escritório Schmidt, Mazará, Dell, Candello & Paes de Barros Advogados. O serviço continuou até 2013. Durante todo este período, o desafio da agência foi dar visibilidade aos seus advogados, expertises e serviços, por meio de um trabalho constante de divulgação de pautas, notas, press releases e artigos assinados. Nestes dois anos, os advogados do escritório concederam dezenas de entrevistas a programas de rádio, revistas especializadas e grandes jornais. No segundo semestre de 2013, a g6 começou a atender o escritório Scheer Advogados, repetindo com sucesso este mesmo modelo de trabalho.

Conteúdo de qualidade  voltado também para o turismo internacional

6a00d8341c01ff53ef01bb09db369d970d-800wi
As estações de esqui da região central do Chile, como o sofisticado Vale Nevado, foram tema de muitos conteúdos interessantes produzidos para a Brasil Chile Viagens durante três anos.

Já tivemos ótimos resultados, também, com um trabalho focado quase que exclusivamente no Facebook. Entre fevereiro de 2016 e setembro de 2018, a g6 foi responsável pela comunicação da agência de turismo Brasil Chile Viagens, e também sua representante comercial em São Paulo. A Brasil Chile Viagens é uma agência de turismo sediada em Santiago, há 10 anos, e comandada pelo brasileiro Gilmar Andrade, profissional de turismo da Bahia, que resolveu empreender no Chile a partir de 2006. A proposta do seu negócio era vender passeios para as principais atrações turísticas da região central do Chile, o que incluía principalmente Santiago, a estação de esqui de Vale Nevado (e as demais da região), as cidade praianas de Valparaíso e Vina Del Mar, uma infinidade de vinícolas (como Concha Y Toro, Undurraga e todo o Vale de Casablanca) e locais com uma paisagem deslumbrante, como Cajon Del Maipo. Para conseguir clientes, Gilmar e sua equipe (assim como profissionais de dezenas de outras agências locais concorrentes com a mesma proposta) visitavam pontos turísticos e hotéis e abordavam brasileiros, oferecendo seus passeios “feitos sob medida para turistas brasileiros”, com “guias brasileiros”. Dava certo. Mas era pouco para conseguir crescer.

No início de 2016, a g6 conheceu a Brasil Chile Viagens e ofereceu seu serviço de comunicação para divulgar a agência chilena no Brasil, atraindo clientes brasileiros antes deles chegarem a Santiago. O trabalho da equipe da Brasil-Chile passaria a ser, principalmente, de atender esta demanda.  Esta conversa evoluiu para uma parceria comercial e, além de divulgar o trabalho da Brasil Chile Viagens entre os consumidores brasileiros, pelo Facebook, a g6 passaria também a atender a demanda criada pela sua comunicação, respondendo aos clientes interessados, passando informações e fechando vendas. Em quase três anos de parceria, foram atendidas por telefonemas, mensagens de whatsapp, comentários no Facebook, Messenger e emails mais de 3.000 pessoas. Mas de 1.000 clientes foram enviados para Santiago neste período. A agência Brasil Chile Viagens mudou de tamanho graças a esta parceria. Na parte de comunicação, o forte do trabalho foi concentrado numa nova página corporativa criada e alimentada pela g6. Neste período, esta página chegou à marca de quase 40 mil curtidas, todas espontâneas e reais (nunca foram compradas curtidas). Era um público que gostava da página e do assunto e curtia para poder acompanhar os próximos conteúdos, sempre com muitas dicas e informações sobre o Chile.

Para conhecer mais detalhes sobre cases de negócios da g6 Comunicacão, acesse www.g6comunicacao.com/cases.

Para obter um orçamento personalizado para o seu negócio, envie um email para imprensa@g6comunicacao.com.br ou uma mensagem para o whatsapp (11) 99305-3328.

Como dar visibilidade a um novo cliente sem falar desse cliente?

teto solar
Mercedes-Benz 170V, de 1937, primeiro automóvel que saiu da linha de montagem equipado com um teto solar; divulgação exclusiva da g6 Comunicação em 2007.

O ano era 2007 e a g6 tinha pouco mais de um ano de atuação no segmento da comunicação corporativa, e pouquíssimos clientes. Eram tempos bicudos. Começar um novo negócio já era um desafio e tanto, mesmo naquele tempo, 12 anos atrás. Eu tinha várias estratégias para prospectar clientes, e uma delas era folhear publicações de prestígio, como o Jornal do Carro (JC), do Estadão, procurando por novas empresas do setor automotivo ainda desconhecidas do público e, portanto, possivelmente, sem o apoio de uma agência de comunicação. Também olhava com atenção os anúncios do JC, em busca de empresas que estavam chegando ao mercado e utilizavam apenas a publicidade para se exporem ao mercado. Neste ano, consegui dois clientes desse jeito: a MVK Motos, que importava motos Shineray de pequena cilindrada da China e vendia com sua marca no Brasil, e a Webasto, a maior fabricante de tetos solares do mundo. Este post é sobre a Webasto, multinacional alemã que hoje é cliente de uma grande e competente agência de comunicação do mercado brasileiro e vive um momento completamente diferente desta história contada neste post.

No mês de outubro de 2007, durante minha leitura do Jornal do Carro, encontrei um anúncio de meia página da Webasto.  Confesso que não conhecia a empresa e fui pesquisar melhor sobre ela. Fabricante alemã, líder mundial na fabricação de tetos solares, que contava com um pequeno escritório no município de Vinhedo (SP), pertinho da capital paulista. Tomei coragem e liguei para a empresa, sendo muito bem atendido por uma alemã que falava um ótimo português e era gerente de Marketing da empresa (infelizmente não lembro o nome dela). Ela ficou muito interessada em me conhecer, pois já avaliava contratar uma assessoria de imprensa especializada na área automotiva a partir de janeiro de 2008. Minha ligação foi uma dessas boas coincidências que vez por outra topamos na vida. Marcamos um almoço na mesma semana no restaurante Ráscal, no Shopping Iguatemi.

Foi um almoço muito agradável. Conversamos muito, e acho que consegui mostrar a ela a importância de contratar uma boa assessoria de imprensa para divulgar sua marca e seus produtos no mercado brasileiro. A empresa nunca havia tido um trabalho desse tipo no País, o que equivale dizer que o tema “teto solar” nunca havia sido explorado na nossa mídia especializada. Logo percebi o enorme potencial de retorno de um bom trabalho com a Webasto. Tudo seria novidade aos olhos dos jornalistas do setor e, portanto, a repercussão das divulgações provavelmente seria muito boa. Ela pareceu se convencer disso, mas manteve seu plano inicial de contratar uma agência somente a partir do início do ano seguinte, por  causa do budget já planejado. Eu tinha boas chances de ser escolhido por ela, afinal eram só mais dois ou três meses de espera, mas tudo é possível neste nosso mercado. Do ponto de vista dela também não é fácil: como escolher uma boa assessoria de imprensa? Mas o fato é que até então não havia muito mais a fazer da minha parte. Meu recado tinha sido bem dado e só me restaria aguardar e torcer.

Mas, ainda no final da nossa conversa, já saboreando a sobremesa, comecei a folhear com mais atenção um belíssimo catálogo com a história da Webasto que ela havia trazido para me mostrar. E, de repente, me deparei com uma linda foto de um Mercedes-Benz preto equipado com um teto solar. Ao ver a imagem, seus olhos brilharam e ela explicou:

“Este foi o primeiro automóvel a sair da linha de montagem equipado com um teto solar. Um teto solar da Webasto. O carro é um Mercedes-Benz 1937. Neste ano se completam 70 anos desde que este modelo foi lançado”, ela explicou. Apesar da beleza da imagem, era uma foto bem politicamente incorreta, com duas mulheres em pé, dentro do carro, debruçadas no teto solar aberto, sem qualquer aparato de segurança. O tipo de foto que nenhuma montadora produz nos dias de hoje.

Mas o que me chamou a atenção mesmo foi a relevância jornalística da notícia e da data para a imprensa automotiva brasileira, que, até onde eu sei, nunca havia recebido um press release de um fabricante de teto solar. Era o tipo de notícia que, bem redigida, com aquela foto em alta resolução e enviada para o mailing certo, era certeza de muita exposição. Aquela notícia não poderia esperar 2018 (ou ficaria velha), e como estratégia para ganhar de vez o cliente, propus divulgar aquele assunto naquela mesma semana sem nenhum custo, para que a empresa pudesse “conhecer melhor os serviços da g6 e ficasse mais à vontade para uma possível contratação no ano seguinte”. Claro que eles prontamente aceitaram e ainda elogiaram minha iniciativa.

O press release foi divulgado nacionalmente no início de novembro. Foi a primeira divulgação da Webasto à imprensa no Brasil. O texto divulgado foi esse:

“Fiat Idea, GM Vectra, Fiat Stilo, Peugeot 206 Moonlight, Fiat Punto, Peugeot 307. O consumidor brasileiro pode, hoje em dia, entrar numa concessionária e sair dirigindo um carro equipado de fábrica com um teto solar de última geração. Mas não foi sempre assim. Foi apenas em 1937, há 70 anos, que saiu da linha de montagem o primeiro carro equipado por uma montadora com teto solar: um Mercedes-Benz 170V. No Brasil, o primeiro carro a sair de fábrica com o recurso foi o Fusca, em 1965.
Este primeiro teto solar, em 1937, foi produzido pela Webasto, multinacional alemã que é líder mundial neste segmento. O teto solar do Mercedes-Benz 170V era feito de lona, tecnologia que continuou a ser utilizada até os anos 60, quando foi substituída pela chapa de aço.
Nos anos 90, o produto sofreu uma grande reformulação, aumentando suas dimensões e ganhando comando elétrico para abertura e fechamento e uma grande área envidraçada. Outra novidade recente, em alguns modelos, é a troca do vidro pelo Policarbonato, um tipo de plástico que é 50% mais leve que o vidro, oferece maior durabilidade e ainda permite a criação de novos formatos.
Líder mundial no segmento de tetos solares, a Webasto produz, anualmente, no mundo todo, cerca de 5 milhões de unidades do produto para atender montadoras e o mercado de aftermarket. Esse volume corresponde à metade das vendas mundiais do equipamento no planeta. No Brasil, a empresa possui 60 revendedores autorizados e oferece um leque de sete modelos de teto solar para atender aos mais diversificados veículos”.

Como esperado, o retorno foi muito grande, com muitas matérias publicadas em sites e jornais especializados. Lembro particularmente de duas matérias de destaque. Uma delas foi num caderno semanal do jornal Valor Econômico, voltado para estilo e consumo de luxo. A outra foi no caderno de automóveis do Diário do Comércio, de São Paulo (SP), então editado pelo brilhante jornalista Chico Lelis. Ambas foram matérias de página inteira. A gerente de Marketing da Webasto ficou extremamente empolgada com o resultado e garantiu que o nosso trabalho junto teria início em janeiro, como de fato aconteceu.

Quando o trabalho foi iniciado, logo enfrentei alguns desafios. O primeiro deles era que a empresa ainda era muito pequena no Brasil e vendia apenas alguns poucos modelos de tetos solares para lojas especializadas na sua comercialização direta para o consumidor. A subsidiária brasileira da Webasto ainda não fazia negócios diretos com as montadoras brasileiras. Os fabricantes nacionais que instalavam o equipamento em seus poucos modelos, como item de série ou opcional, compravam o teto solar diretamente dos escritórios da Webasto na Europa. A filial do Brasil, portanto, ainda vivia somente das vendas às lojas e a função da assessoria de imprensa seria contribuir com esses negócios. Um fator muito positivo nessa equação é que não existiam outros fabricantes do produto abastecendo o mercado de aftermarket. A Webasto, portanto, operava sozinha nesse nicho. Isso significava que bastava levar o tema “teto solar” para a mídia, destacando seus principais atributos, como elegância, charme, estilo de vida, conforto, alta tecnologia e segurança. Mesmo sem aparecer a marca Webasto, se essas publicações na mídia despertassem o desejo do consumidor instalar um teto solar no seu carro, este produto seria certamente da Webasto.

O trabalho de comunicação também tinha como objetivo acabar com alguns mitos já ultrapassados naquela época sobre a qualidade do equipamento, especialmente que ele vazava debaixo de chuva, o que realmente não era verdade. Há muitos anos não era verdade, mas parte do público ainda não estava atualizada sobre a grande evolução tecnológica do teto solar e, por isso, preferia “não arriscar”. Acredito, sinceramente, que o trabalho da g6 contribuiu para mudar a visão de muitas pessoas sobre essa questão. O serviço de assessoria de imprensa da g6 para a Webasto durou até 2009, quando a filial brasileira começou a passar por uma crise e optou por cortar vários custos – inclusive o da comunicação, como sempre acontece nessas situações.

Uma lição importante que ficou desse trabalho foi a importância da pró-atividade e da criatividade, tanto para conquistar o cliente, como para desenvolver um trabalho com bons resultados. No dia a dia de trabalho, os conteúdos produzidos para divulgação à imprensa priorizavam o estilo de vida de quem tinha um teto solar, a tecnologia do produto, sua proposta de uso, seus benefícios em conforto e elegância no cotidiano, sem necessariamente falar do fabricante. É um conceito semelhante ao que se aplica nos dias de hoje ao Marketing de Conteúdo, muito praticado em todo o mundo por empresas de todos os segmentos. Contar histórias relevantes para conquistar uma audiência qualificada que, um dia, poderá se tornar consumidora dos produtos daquela empresa – é mais ou menos isso que fizemos com a Webasto, com sucesso, em 2008 e 2009.

(Eduardo Sanches)

Qual a melhor solução para sua empresa: uma agência de comunicação grande ou pequena?

duvidas sobre comunicação
Se você tem uma pequena ou média empresa, provavelmente uma pequena agência competente e comprometida com os resultados do trabalho será capaz de lhe atender por um bom custo.

Ao longo de minha trajetória profissional em agências de comunicação importantes do mercado, encontrei estas questões em muitos clientes: eu preciso de uma agência de comunicação grande? Posso confiar numa agência de comunicação pequena? Quais são, de fato, as principais diferenças entre elas? Vale a pena pagar mais caro por uma agência grande? Algumas empresas fazem questão de contratarem o prestígio e a grife que algumas grandes agências carregam, além, é claro, da sua expertise e da competência inegável de boa parte dos seus profissionais. Por outro lado, de outros clientes ouvi, mais de uma vez, esta frase: “Prefiro ser um grande cliente numa agência pequena do que apenas mais um numa agência grande”.

Enfim, como fazer esta escolha? Acho que o primeiro passo é entender que não existe receita pronta. Agências vendem serviços e esses serviços são realizados, em geral, por profissionais de comunicação – jornalistas, relações públicas e publicitários. Existem ótimos e maus profissionais em agências de todos os tamanhos. Existem profissionais mais ou menos interessados e mais ou menos criativos em qualquer lugar. Então este não deve ser o critério. Você vai encontrar gente competente e capaz de lhe prestar o serviço que você precisa numa boa agência pequena ou numa boa agência grande.

Um bom critério é avaliar, concretamente, que serviço você vai contratar e qual a demanda que essa atividade vai gerar na agência contratada. Vamos tomar como exemplo a Assessoria de Imprensa. Algumas empresas multinacionais contratam as maiores agências de comunicação do mercado brasileiro para prestarem este serviço. E estas agências montam, internamente, equipes multidisciplinares bem completas, com gerentes, coordenadores, profissionais de atendimento e estagiários para entregarem o trabalho. Já vi equipes de assessoria de imprensa para grandes marcas com até 20 profissionais exclusivos dentro da agência contratada. Este perfil de cliente, sem dúvida, precisa de uma agência desse porte. Uma agência pequena terá dificuldade para ampliar, dessa forma, da noite para o dia, o seu quadro de funcionários e poderá ter limitações de espaço para acomodar este pessoal, entre várias outras questões que precisam ser avaliadas.

Por outro lado, ainda tomando como exemplo o serviço de Assessoria de Imprensa, quando o cliente contrata uma agência grande e ganha, na prática, um ou dois profissionais de comunicação para lhe atender no dia a dia, é muito possível que ele esteja gastando muito mais do que precisa nessa atividade. Agências grandes custam mais do que agências pequenas – isso é um fato! Neste exemplo, o cliente estará pagando, naquele fee mensal, toda a infraestrutura da grande agência – desde o aluguel daquele espaço enorme e super bacana ocupado pela agência até o salário elevado dos seus vários diretores que, em geral, não acompanham o dia a dia de uma conta desse porte.

Este, aliás, é outro ponto interessante. Quando você pede um orçamento para uma grande agência de comunicação, uma equipe com diretores e VPs bastante competentes e experientes vai até sua empresa com uma apresentação extremamente profissional – e convincente. Quando você chama uma boa agência pequena, poderá receber o mesmo nível de apresentação do sócio/diretor. A diferença é que, quando você fecha negócio com a grande agência, a tendência é só ver de novo aqueles diretores e VPs em reuniões anuais ou em momentos de crise. Porém, ao optar pela agência de menor porte, e confiar naquela especialista que lhe apresentou seu projeto de trabalho, provavelmente será ele mesmo, com apoio de sua equipe, que irá lhe atender. É com ele que você vai lidar no dia a dia, e resolver todos os desafios do trabalho, e não com um gerente de atendimento iniciante com alguns poucos anos de experiência.

Em resumo, agências grandes são mais caras e, quase sempre, prestam um bom trabalho. Mas você pode encontrar a mesma qualidade – ou superior – numa agência pequena e dedicada, gastando muito menos. Vale a pena comparar os orçamentos e entender se você precisa, de fato, de toda aquela infraestrutura que a grande agência vai lhe oferecer – e cobrar!

(Eduardo Sanches)